Got a job!

Ler em Português
Read in English

Estas semanas têm sido bastante preenchidas e tudo por boas razões: já estou empregada! Após várias candidaturas e entrevistas, tive a sorte de poder escolher entre duas ofertas e, sem muito para ponderar – explico-vos melhor o processo das entrevistas e as ofertas noutro post – escolhi iniciar-me no mundo do IT e fazer uma carreira nesta área tão vasta e que oferece tanto.

Para vos situar mais ou menos no que tem sido a minha carreira profissional, eu trabalhava num banco e era isso que estava inclinada para fazer cá portanto a minha procura focou-se nessa área e depois fiz umas candidaturas mais aleatórias pois o que eu queria mesmo era trabalhar. Tentei vários bancos, fui seleccionada, fiz entrevistas e fiquei com o trabalho.. até que uma empresa na área do IT para a qual eu tinha feito uma entrevista me ligou com uma oferta bastante mais agradável, a qual eu aceitei de imediato.

Vim só escrever num instantinho para vos dar esta novidade e depois, num post bem mais informativo, digo-vos como foram as entrevistas – o ridículo e o positivo – e como dedici entre as ofertas.

Não imaginam como já ressacava e-m-p-r-e-g-o! E ainda há quem não queira fazer nada.

Continue Reading

Thanksgiving

Ler em Português
Read in English

Hoje celebra-se o dia de Acção de Graças nos EUA. É a primeira vez que vivemos esta experiência e, ainda que não signifique nada para nós, é sempre engraçado ver como as pessoas festejam este dia – milhões de vezes representado nos filmes americanos.

Os supermercados enchem-se de tartes de abóbora, batata doce e.. gente, muita gente! Há quem aproveita e tire férias, portanto pode-se esperar, também, mais trânsito.

É provável que imaginem este dia como sendo frio e as pessoas vestidas com várias peças de roupas. Not in Texas! A temperatura está bastante agradável e, mesmo que estas tradições sejam mais viradas para dias frios, qualquer dia é um bom dia para encher a pança de coisas boas, não é?

Happy Thanksgiving! – já me disseram isto praí umas 1000xs.

Continue Reading

Healthy Brownies

Ler em Português
Read in English

Nem todos temos a sorte de poder comer o que nos apetece e não engordar e, sendo eu daquelas pessoas que aprecia um doce, principalmente depois da refeição, mas que segue uma alimentação saudável, há que brincar com os ingredientes e fazer receitas que possam entrar na dieta, como estas brownies saudáveis.

Depois de pesquisar mil e uma receitas, decidi fazer a minha própria versão já que os ingredientes das que via pela internet não me agradavam muito. Decidi usar o puré de abóbora (e ninguém adivinhou que este era o ingrediente principal quando meti a foto no instagram) e não foi preciso nem 1gr de farinha.

Brownies

Ingredientes:

  • 400gr de puré de abóbora
  • 50gr de cacao em pó (sem açúcar)
  • 90gr de Swerve (ou stevia)
  • 2 ovos
  • 4 quadrados de chocolate 70-90% cacao
  • 1 pitada de sal
  • 40gr de manteiga de amendoim (opcional)

Preparação:

  • Juntar o chocolate em pó e swerve/stevia no puré de abóbora e mexer.
  • Juntar os ovos, um de cada vez.
  • Adicionar o chocolate em bocadinhos e o sal e mexer.
  • Pôr a massa numa forma quadrada.
  • Derreter a manteiga de amendoim.
  • Dispor a manteiga de amendoim por cima da massa com um garfo.
  • Levar ao forno a 180º durante cerca de 30min.

 

As brownies ficam bastante húmidas, portanto, se forem como eu, vão ficar fãs. Para brownies saudáveis e com pouquíssimos hidratos de carbono – escolham o puré de abóbora 100% natural – são óptimas e rendem o suficiente para terem sobremesa para uns dias sem se preocuparem com o banhil. Depois não se esqueçam de me agradecer!

Continue Reading

Downtown: The Alamo & The Riverwalk

Ler em Português
Read in English

Visitar o Alamo e passear pela Riverwalk é daquelas coisas obrigatórias a fazer em San Antonio.

O Alamo, um antigo forte e agora museu, foi fundado no século XVIII por espanhóis que tinham como objectivo catequizar os indígenas mas depressa se tornou propriedade do México. O conflito entre os Estados Unidos e o México iniciou-se com o ataque por parte do general Antonio López de Santa Anna ao forte, matando todos os texanos que se encontravam a defender. Em forma de vingança, os texanos atacaram mexicanos e saíram vitoriosos pondo, assim, fim à Revolução do Texas, em 1836. (ler mais neste link)

A entrada é gratuita e podem aprender mais um bocado sobre a história do Texas.

A Riverwalk, como o nome indica, é uma zona onde podem, não só, passear lado-a-lado com o rio, seja a pé ou de barco enquanto passam por diversos restaurantes, bares e até mesmo um shopping que vos dá acesso directo ao rio. Este é o sítio onde as vistas, sons e sabores do Wild West, Native America e Old Mexico se conjugam no meio de uma cidade moderna.


Downtown está cheia de sítios óptimos para explorar, seja museus, parques ou restaurantes e um dos nossos sítios preferidos, o Pearl.

E o que é o Pearl? Acompanhem os meus próximos posts onde vos darei a conhecer este sítio.

Continue Reading

Visiting Houston – Day 2

Ler em Português
Read in English

Já havia lido em alguns websites que, em média, a visita à NASA demora 5h. Pois é, esse tempo todo. Assim sendo, saímos para tomar o pequeno almoço, que uma pessoa precisa de energia para um dia no espaço, e fomos ao nosso querido Snooze.

Este é um sítio para pequenos almoços, brunch ou almoços ligeiros, visto que fecha cedo, e a especialidade são as panquecas. Nós já lá fomos tantas vezes que optamos sempre pelo mesmo: chilli verde eggs benedict, que são dois ovos escalfados por cima de uma base de tortilhas e pulled pork e cobertos de hollandaise. São servidos com uma óptima hash brown e salsa, uma mistura de tomate, pimentos e cebola. Nunca falha! Pedimos ainda umas panquecas de abóbora, não fosse esta ser a época delas!

De barriguinha cheia, lá fomos em direcção à NASA. Para quem vai de carro, podem estacionar no parque por $5 e estão a uns passos da porta.

Já tínhamos marcado pelo site a que horas queriamos fazer duas das tours que eram recomendadas, por isso, assim que chegamos, dirigimo-nos para a fila da tram tour e, uns minutos depois, lá nos sentamos e começamos a viagem.

A primeira paragem foi Mission Control Center. Foi desta sala que as missões Apollo e Gemini foram controladas. É inacreditável como se mantêm tudo o que era original da época e é um prazer ouvir o senhor explicar como foram feitos os cálculos, pois não haviam calculadoras, para que esta missão fosse um sucesso.

On July 20, 1969, Neil Armstrong’s famous words were forever ingrained in history: “Houston, Tranquility Base here. The Eagle has landed.”

De seguida dirigimo-nos para Space Vehicle Mockup Facility, onde engenheiros e cientistas trabalham na produção de protótipos e robots e astronautas treinam para missões no espaço. É possível ver, de um andar acima, protótipos de partes da International Space Station e ainda da cápsula Orion – esta nave espacial vai ter um papel importante nas viagens para o espaço profundo e principalmente Marte. É a Orion que vai levar astronautas para territórios no sistema solar nunca antes explorados por missoes tripuladas. É aqui que, basicamente, podem ver o futuro ser construído.. e é brutal!

A última paragem foi para ver de perto o Mercury Redstone, o primeiro veículo nos Estados Unidos a transportar pessoas para o espaço e, mais importante ainda, o famoso Saturn V que foi construído pelo NASA com o propósito de levar pessoas para a Lua.


Saturn V mede 111 metros, pesa o equivalente a um edifício de 36 andares e, quando cheio de combustível para descolar, pesa o mesmo que 400 elefantes e foi o mais potente foguetão a voar com sucesso.

Quando entramos dentro de uma espécie de armazém onde Saturn V está “guardado” quase nos cai o queixo. É realmente brilhante quando imaginamos uma coisa daquelas levar humanos à Lua. Não só o tamanho do foguetão é imenso como os génios por detrás da tecnologia.

Depois da tram tour, fomos explorar o Space Centre onde podem encontrar peças que estiveram em missões, fatos de astronauta, entrar dentro do Sky Lab – um mockup da primeira estação espacial Americana e assistir a várias demonstrações, por exemplo, como é viver no espaço. São mais umas horinhas a explorar o universo mas que valem a pena!



Para finalizar, fomos visitar uma réplica do vaivém espacial Independence, construído no topo do vaivém original NASA 905 e explorar o avião que é, digamos, gigante.

O preço do bilhete são $29 e estas tours estão incluídas portanto não há motivos para não as fazer.

Ainda tivemos tempo para nos divertir num simulador em que o homem pilotava e eu matava os atacantes enquanto nos viravam de pernas para o ar dentro do que seria o interior de um vaivém.

A média das 5h estava certa – foi mais ou menos o que demoramos. Viemos embora felizes da vida, afinal não é todos os dias que se visita o espaço, pelo menos de uma maneira tão autêntica – ahahahahahha.

Para acompanhar as minhas aventuras pela América e mais fotos, sigam o Instagram!

Continue Reading