Visiting Houston – Day 2

Ler em Português
Read in English

Já havia lido em alguns websites que, em média, a visita à NASA demora 5h. Pois é, esse tempo todo. Assim sendo, saímos para tomar o pequeno almoço, que uma pessoa precisa de energia para um dia no espaço, e fomos ao nosso querido Snooze.

Este é um sítio para pequenos almoços, brunch ou almoços ligeiros, visto que fecha cedo, e a especialidade são as panquecas. Nós já lá fomos tantas vezes que optamos sempre pelo mesmo: chilli verde eggs benedict, que são dois ovos escalfados por cima de uma base de tortilhas e pulled pork e cobertos de hollandaise. São servidos com uma óptima hash brown e salsa, uma mistura de tomate, pimentos e cebola. Nunca falha! Pedimos ainda umas panquecas de abóbora, não fosse esta ser a época delas!

De barriguinha cheia, lá fomos em direcção à NASA. Para quem vai de carro, podem estacionar no parque por $5 e estão a uns passos da porta.

Já tínhamos marcado pelo site a que horas queriamos fazer duas das tours que eram recomendadas, por isso, assim que chegamos, dirigimo-nos para a fila da tram tour e, uns minutos depois, lá nos sentamos e começamos a viagem.

A primeira paragem foi Mission Control Center. Foi desta sala que as missões Apollo e Gemini foram controladas. É inacreditável como se mantêm tudo o que era original da época e é um prazer ouvir o senhor explicar como foram feitos os cálculos, pois não haviam calculadoras, para que esta missão fosse um sucesso.

On July 20, 1969, Neil Armstrong’s famous words were forever ingrained in history: “Houston, Tranquility Base here. The Eagle has landed.”

De seguida dirigimo-nos para Space Vehicle Mockup Facility, onde engenheiros e cientistas trabalham na produção de protótipos e robots e astronautas treinam para missões no espaço. É possível ver, de um andar acima, protótipos de partes da International Space Station e ainda da cápsula Orion – esta nave espacial vai ter um papel importante nas viagens para o espaço profundo e principalmente Marte. É a Orion que vai levar astronautas para territórios no sistema solar nunca antes explorados por missoes tripuladas. É aqui que, basicamente, podem ver o futuro ser construído.. e é brutal!

A última paragem foi para ver de perto o Mercury Redstone, o primeiro veículo nos Estados Unidos a transportar pessoas para o espaço e, mais importante ainda, o famoso Saturn V que foi construído pelo NASA com o propósito de levar pessoas para a Lua.


Saturn V mede 111 metros, pesa o equivalente a um edifício de 36 andares e, quando cheio de combustível para descolar, pesa o mesmo que 400 elefantes e foi o mais potente foguetão a voar com sucesso.

Quando entramos dentro de uma espécie de armazém onde Saturn V está “guardado” quase nos cai o queixo. É realmente brilhante quando imaginamos uma coisa daquelas levar humanos à Lua. Não só o tamanho do foguetão é imenso como os génios por detrás da tecnologia.

Depois da tram tour, fomos explorar o Space Centre onde podem encontrar peças que estiveram em missões, fatos de astronauta, entrar dentro do Sky Lab – um mockup da primeira estação espacial Americana e assistir a várias demonstrações, por exemplo, como é viver no espaço. São mais umas horinhas a explorar o universo mas que valem a pena!



Para finalizar, fomos visitar uma réplica do vaivém espacial Independence, construído no topo do vaivém original NASA 905 e explorar o avião que é, digamos, gigante.

O preço do bilhete são $29 e estas tours estão incluídas portanto não há motivos para não as fazer.

Ainda tivemos tempo para nos divertir num simulador em que o homem pilotava e eu matava os atacantes enquanto nos viravam de pernas para o ar dentro do que seria o interior de um vaivém.

A média das 5h estava certa – foi mais ou menos o que demoramos. Viemos embora felizes da vida, afinal não é todos os dias que se visita o espaço, pelo menos de uma maneira tão autêntica – ahahahahahha.

Para acompanhar as minhas aventuras pela América e mais fotos, sigam o Instagram!

Continue Reading

Visiting Houston – Day 1

Ler em Português
Read in English

Aproveitando umas mini férias, decidimos ir dar um saltinho a Houston com o intuito de visitar o famoso NASA Space Center e, já que estaríamos nesta cidade pela primeira vez, aproveitar para explorar downtown e parar em alguns dos sítios recomendados pelo site Thrillist.

De San Antonio a Houston são cerca de 3h de carro, portanto saímos ainda de manhã em direcção à primeira paragem: JP Morgan Tower. Eu, que sou uma medricas no que toca a alturas lá me fui preparando para subir os 60 andares e observar a cidade de lá de cima, no sky observatory. É que esta menina, quando se decidiu fazer mulher e subir a Torre Eiffel, nunca pensou que fosse ficar parada, num elevador de vidro, no meio do raio da torre com vistas nada privilegiadas – para mim – para a cidade! Quantas vezes sobem e descem aqueles elevadores e quantas vezes pararam a meio? Pois, não sei mas digo-vos que para quem, como eu, não se sente nada confortável nas alturas, foi assustador. Mas voltando a Houston, não é que chegamos lá e, eu já prontinha para deixar o medo e subir os 130m, o observatório está fechado ao público? Segundo algumas pessoas, fecharam-no devido a estragos provocados por visitantes. É o problema de oferecerem estas coisas de forma gratuita. Se calhar, se fosse preciso pagar para subir, ainda estaria aberto.

Ficamos um bocadinho desiludidos e bora lá afogar as mágoas na comida. Haviam uns sítios engraçados mas quisemos experimentar uma coisa diferente e fomos ao Wokker, um sítio de comida thai que já foi um food truck mas está agora dentro de um edifício muito giro, onde há um bar de cervejas artesanais e algumas mesas viradas para a rua, com vistas dos edifícios enormes de downtown.

Pedimos, para entrada, Brisket Egg Rolls e Wokker TX Ranger Fries e pedimos ainda o Pork Belly Fried Rice e Vietnamese Shaken Beef. Nada de desilusão desta vez, a qualidade da comida é óptima e o nosso favorito foi, sem dúvida, o Pork Belly Fried Rice.


De seguida, fomos caminhar pelo Buffalo Bayou Park, um parque com 124 hectares onde podem, e devem, visitar sítios como a famosa ponte dos morcegos em que podem assistir a 250 mil morcegos sobrevoar a ponte e cidade enquanto o sol se põe. Vejam este vídeo e digam lá se não é qualquer coisa.

O parque não fazia jus às imagens que vi antes de visitar e isto deve-se ao facto de Houston ter sido, severamente, atingido pelo furacão Harvey há uns meses. Muitas zonas estavam fechadas mas havia, ainda, espaços verdes que sobreviveram.

O jantar foi no Melting Pot, um restaurante de fondue onde podem customizar o vosso menu ou optar pelos que estão já designados e passar ali um bom serão. O jantar é vos servido em 4 etapas: entrada, salada, prato principal e sobremesa e todos são cozinhados na mesa, no fondue, excepto a salada. Escolhemos um fondue de queijo com batatas para entrada, salada caprese, o prato principal “The Classic” que consiste em porções de camarão, frango com ervas, bife angus, bife teriyaki e porco e, para sobremesa, S’mores: chocolate derretido, marshmallow, graham crackers e brownies, blondies e fruta para mergulhar. Meu Deus! Mais uma vez, satisfação nível 1000.

O dia seguinte seria na NASA, espero por vocês no próximo post. – já seguem no instragam? ófaxabor venham embarcar nas aventuras pela América.

Continue Reading