Seattle – Dia 2

No segundo dia levantamo-nos já um bocadinho tarde – estávamos mesmo a precisar de umas horas de sono – e o sítio para almoçar estava decidido desde o dia anterior: Zengh Café.

Apanhamos um autocarro em West Seattle e uns 30min depois estávamos sentados neste mini restaurante a provar os delicioso steamed buns e uns beef noodles com vista para a famosa Space Needle. O must deste sítio e aquilo que queríamos provar mesmo eram os custard buns – uma versão doce dos tradicionais steamed buns com um recheio tipo creme de ovos, delicioso – mas o resto do que pedimos era igualmente óptimo e ainda nós recomendaram sítios a visitar por Seattle.

Já que estávamos a uns passinhos da Space Needle, aproveitamos para comprar o city pass e verificar se iria dar para subir lá cima, já que no site dizia que iam estar fechados durante uns dias para remodelações mas que algumas zonas estariam acessíveis. A senhora no balcão confirmou que estavam fechados mas iam abrir na sexta, ou seja, ainda lá poderíamos ir!

O City Pass é um passe que vos dá entrada para a Space Needle (no dia 4 subimos e há fotos), Seattle Aquarium (fotos e etc dia 3), Argosy Cruises Harbor Tour (para fotos e etc, voltem no dia 3), Museum of Pop Culture (dia 4) ou Woodland Park Zoo e Chihuly Garden and Glass ou Pacific Science Center.

São $79 e, se pretenderem visitar estes sítios, sugiro que o adquiram.

A maioria destes sítios é na mesma zona. Sendo que a Space Needle é a dois passos do Chihuly Garden and Glass, decidimos visitar este museu onde podem ver as obras de Dale Chihuly. Os detalhes e as cores são espectaculares e tudo é feito em vidro. Não vou escrever muito sobre este sítio mas sim deixar-vos com estas fotos para poderem perceber o que digo.

De seguida lá fomos para uma – mais uma – longa caminhada. Somos só nós ou vocês também preferem, em city breaks, optar por andar enquanto descobrem o que a cidade oferece em vez de se meterem nos transportes? Só usamos autocarro umas duas vezes e o comboio para ir e vir do aeroporto.

Entretanto, paramos nas novas cúpulas da Amazon, não podendo entrar – é só para empregados – deu para ver o interior que é, nada mais nada menos, o género de uma floresta tropical.

Estava a dar aquela vontade de parar num sítio quentinho para uma bebida ainda mais quentinha e descansar um bocado quando vimos o sítio perfeito: Macrina Bakery. Pedimos uns cappuccinos e duas lambarices que entretanto já estávamos a precisar de repor os açúcares – ou não e sou só eu a ser lambareira. Deliciamo-nos, nas calmas, enquanto escurecia lá fora e se ganhava vontade para mais uma caminhada.

Já tínhamos escolhido onde jantar por isso a próxima paragem seria na Bottlehouse. Era um dos sítios mais recomendados para tapas e era o tipo de comida que nos apetecia, assim mais levezinho e num ambiente muito descontraído.

Este “restaurante” é mesmo uma casa – daquelas típicas americanas – e é numa rua bem calminha. Lá dentro o ambiente não podia ser mais relaxado. Luz super baixa, maioritariamente vinda das velas, mesas altas e garrafas por todo o lado. O menu é muito simples e o mais importante: há pão.. quente. Baguete, queijos que são escolhidos consoante o vinho que estão a beber ou as vossas preferências, carnes curadas, pratos leves e algumas sobremesas. As empregadas são bastante simpáticas e conhecedoras do menu e dos vinhos, e dizem-vos de onde vêm os produtos que estão a consumir. Foi um serão muito agradável e voltava já!

Já vos disse que as sobremesas são o meu prato preferido, right? E por isso, não podíamos ir embora sem sobremesa. Mas esta foi noutro sítio – daqueles que se encontram quando caminham. Vimos uma janelinha que dizia Molly Moon’s homemade ice cream e tivemos que ir ver melhor – que é como quem diz pedir 3 sabores porque escolher é difícil e uma pessoa não quer ter essa tarefa árdua. Ainda bem que decidimos parar por lá pois o raio do gelado era óptimo.

Daqui, quase a rebolar, fomos para a “nossa” rica casinha, aproveitar a lareira que faz frio lá fora e em San Antonio não há nada disso.

Voltem para o resto da viagem por Seattle!

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *